Explosão na Plataforma de Lançamento da SpaceX Destrói Foguete e Satélite

Uma explosão nas instalações da Space X, nesta quinta (01), destruiu o foguete Falcon 9 e sua carga na plataforma da empresa em Cabo Canaveral, Califórnia, Estados Unidos. Não houve feridos. Autoridades locais disseram que...

1079 0

Uma explosão nas instalações da Space X, nesta quinta (01), destruiu o foguete Falcon 9 e sua carga na plataforma da empresa em Cabo Canaveral, Califórnia, Estados Unidos. Não houve feridos. Autoridades locais disseram que os moradores da região não estavam em risco.

No momento do acidente o Falcon 9 passava por um teste estático (em solo) juntamente com sua carga, o satélite israelense de comunicação que seria lançado no próximo sábado, o qual também foi destruído na explosão de hoje. O satélite de comunicação é identificado por AMOS-2, que substituiria o AMOS-1, ainda em operação, porem já bastante gasto pelo longo tempo de uso. O AMOS-2, a carga útil do Falcon 9, que seria enviado para uma órbita geoestacionária, tinha 5,5 toneladas – correspondendo o mais pesado que seria lançado pelo Falcon 9 – e atenderia a necessidade de transmissão de dados de partes da Europa e da África, além do Oriente Médio e do Reino Unido.

A Space X divulgou um curto comunicado à imprensa informando o acidente. “A SpaceX pode confirmar que, em preparação para o disparo estático de hoje, houve uma anomalia na plataforma que resultou na perda do veículo e de sua carga útil. Seguindo procedimento padrão, não havia ninguém na plataforma e não houve feridos.”, diz a nota.

O disparo estático é um teste comum em lançamentos espaciais, que consiste em acionar os motores com eles e a carga presos, para não pegarem voo. Segundo o site Mensageiro Sideral, “o Falcon 9 a ser utilizado era novo, e não um dos recuperados pós-voo, e havia passado por um teste assim nas instalações da SpaceX no Texas, dias antes.” No teste no Texas, os motores funcionaram ininterruptamente por três minutos, sem nenhuma anomalia.

A Estação da Força Aérea na base de lançamento informou, por meio de um porta-voz, que houve uma explosão “significativa” pouco depois das 9h (horário local) no Complexo de Lançamento 40, que é alugado pela SpaceX.

Por meio de sua conta no Twitter, Elon Musk também se pronunciou. “Perda de veículo Falcon hoje durante operação de abastecimento”, disse o principal acionista da empresa SpaceX. “Originou-se perto do tanque de oxigênio do estágio superior. Causa ainda desconhecida. Mais em breve.”, escreveu Musk.

Por meio de um vídeo, é possível que a explosão começou no segundo estágio do foguete.

O teste estático com o Falcon 9 e a carga útil, na plataforma 40 da Estação da Força Aérea, não havia sido iniciado quando a explosão aconteceu. Ainda não está claro a causa dessa explosão: não é possível ainda afirmar se houve uma falha com o foguete ou com a plataforma. A SpaceX tentava se antecipar com o lançamento, para que este acontecesse no próximo sábado, dia 03, antes da chegada da tempestade tropical Hermine.

Sobre o acidente de hoje, Marc Boucher, do blog “NasaWatch.com” diz que “As repercussões comerciais para a SpaceX e seus clientes são numerosas, é um efeito em cascata”. Só com o satélite AMOS-2 embarcado, a perda foi de US$ 285 milhões — segundo o blog Mensageiro Sideral — e o seguro só cobria problemas durante ou após o lançamento, por um período de um ano. “Os agendamentos para o veículo de carga com suprimentos para a Estação Espacial Internacional – ISS terão que ser modificados”, informa o “NasaWatch.com”.

Essa é a segunda explosão de um foguete Falcon 9 em quatorze meses. Agora, especula-se se este eventos poderão implicar algum arranhão na imagem da empresa do magnata sul-africano. A empresa de Musk planeja o transporte de astronautas americanos à Estação Espacial Internacional, isso já a partir do ano que vem. Outro plano da SpaceX é o envio da capsula Dragon a Marte até 2018. A outra explosão de uma nave da empresa aconteceu em 28 de junho de 2015 durante o voo, o que acarretou a paralisação das atividades da empresa por alguns meses, até que tudo fosse reorganizado. Talvez a mesma medida seja necessária agora.

 

Publicação arquivada em